Brasil é bola da vez e SP é pole position, diz Afif

30 de Maio de 2012
Tamanho da fonte Zoom in Regular Zoom out

Com o seminário realizado nesta quarta-feira (30/5) no Salão dos Pratos do Palácio dos Bandeirantes (SP), capitaneado pelo vice-governador Guilherme Afif, a relação entre os Governos de São Paulo e de Madri deu mais um passo em direção a parcerias em projetos de infraestrutura no território paulista. Um dos primeiros contatos foi em março, quando Afif esteve na capital espanhola em missão política e particular. Com as parcerias, as duas partes ganham. São Paulo poderá acelerar projetos fundamentais – como os de mobilidade urbana, logística e saneamento. Os empresários de Madri, por sua vez, podem investir em negócios sólidos e com alto retorno financeiro. E hoje esses empreendedores espanhóis conheceram os projetos do governo paulista a serem abertos para investimentos externos via parcerias público-privadas (PPPs). A apresentação foi feita por Afif, que preside o Conselho Gestor do Programa Estadual de PPPs.

“Os empresários espanhóis tiveram afinidade total com as nossas prioridades porque eles são especialistas. Na sequência teremos dois níveis de contato. O primeiro vai ser intergovernamental, que são os acordos entre SP e Madri para criar um modelo de gestão de mobilidade urbana”. O segundo nível de contato, de acordo com Afif, será com as empresas interessadas em investir nesse modelo criado. “E aí tem muita empresa espanhola especializada que pode vir com apoio do próprio governo de Madri ou da Espanha, para investir na nossa infraestrutura em associação com empresas privadas no Brasil. Isso se chama transferência de tecnologia”.

O governador Geraldo Alckmin frisou que São Paulo é um “porto seguro” para novos negócios e lembrou que a maior parte dos 700 mil imigrantes espanhóis no Brasil estão em território paulista. “Então vocês estão em casa”, disse, dirigindo-se aos empresários.

Pole position

Afif revelou que o governo quer captar R$ 25 bilhões no setor privado em termos de parcerias público-privadas. “Estamos buscando PPP não por falta de recursos públicos, mas sim para incorporar a governança corporativa privada em nossos projetos públicos, para deixar o processo mais dinâmico”, explicou. “Temos tradição em PPP. Exemplo disso é que das 20 melhores rodovias do país, 19 estão no estado de SP, graças a concessões feitas para a iniciativa privada”.

Em sua exposição, o vice-governador dividiu o portfólio de projetos em três áreas prioritárias: mobilidade urbana, logística e saneamento. Ele citou a ampliação do metrô e implantação do trem expresso metropolitano, com trens a 160 ou 180 km/h para substituir automóvel, para aliviar o tráfego nas rodovias paulistas. “Essa rede vai atender regiões do estado que juntas representam 60% da população Paulista. É uma grande oportunidade para vocês, espanhóis, em termos de projeto”.

“A Europa, especificamente a Espanha, tem expertise e liquidez dos agentes internacionais. Essa é uma crise com grande liquidez no mundo. É o momento de entrarmos nos projetos de infraestrutura com possibilidade de grande retorno financeiro para vocês. O Brasil é a bola da vez e São Paulo está na pole position”, destacou Afif.

Desafio lançado

O presidente do programa de PPPs disse que a meta é, entre 2012 e 2015, construir 32,8 km de metrô – média de 8,2 km por ano (sendo que hoje a média é de 2 km por ano). “Temos o sonho de construir 120 km de metrô até 2018. Está lançado o desafio”.

Afif também falou sobre a fábrica de medicamentos (pronta para funcionar e com projeto aberto a propostas); a construção e reforma de hospitais; o projeto de conteúdo digital para escolas públicas; a construção de presídios e de parques tecnológicos; o ferroanel, para que o transporte de carga passe a ser feito por trem e não mais por caminhão; a concessão do Porto de São Sebastião para a iniciativa privada; a construção e ampliação de hospitais.

Participaram do seminário os secretários estaduais Saulo de Castro (Transportes), Julio Semeghini (Planejamento), Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos). Representantes de empresas espanholas das áreas como transporte e saúde fizeram apresentações sobre suas experiências.

Afif e Aurelio García de Sola (que veio representando o governo de Madri e preside a empresa Madri Netwok) assinaram protocolo de intenções na área de mobilidade urbana, entre SP e Madri.

 

Deixe um comentário!