Política

Político RSS
Tamanho da fonte Zoom in Regular Zoom out

Como e por que ser político

A política foi a melhor forma que Afif encontrou para transformar suas ideias em ações concretas. Foi no centro acadêmico que a política entrou em sua vida. O primeiro desafio foi como deputado constituinte. Depois, Afif concorreu em importantes campanhas, como as de 1989 (Presidência) e de 2006 (Senado). Ocupou três secretarias estaduais: Agricultura, Emprego e Desenvolvimento e coordenou o programa das PPPs do Estado de São Paulo, vice-governador de SP e ministro da Micro e Pequena Empresa. No campo partidário, preside a Fundação Espaço Democrático, do PSD (Partido Social Democrático).

A batalha pela Presidência

Um dos momentos marcantes na vida de Afif foi a eleição de 1989. Candidato à Presidência da República, destacou-se por seu pioneirismo e pela defesa de bandeiras de repercussão nacional. Seu desempenho virou notícia. Afif surpreendeu o Brasil e foi um dos concorrentes mais votados do país, à frente de fortes candidatos. Com o slogan “Juntos chegaremos lá”, lembrado até hoje, empolgou os brasileiros e entrou para o cenário nacional, passando a ser reconhecido por suas propostas, coerência e determinação. A campanha confirmou sua vocação de fazer da política um instrumento para concretizar ideias.

Parceria Público-Privada: investir para desenvolver

No Conselho Gestor do Programa das Parcerias Público-Privadas (PPPs) do Estado de São Paulo, Afif teve a importante missão de intermediar parcerias entre empresas e o governo, garantindo investimentos que melhoram os serviços públicos. Com as PPPs todos ganham: as empresas, por investirem num negócio que dá retorno financeiro e credibilidade; o estado, porque oferece serviços de maior qualidade; e o cidadão, que vê a sua vida melhorar. Alguns exemplos de PPPs são a Linha 4 do Metrô, a estação de tratamento de água de Taiaçupeba e a modernização da Linha 8 da CPTM, todos na Grande SP.

A nossa principal bandeira será a da igualdade de oportunidades, que é a verdadeira inclusão social.

Guilherme Afif,

Revista Brasileiros – 15.04.2011