Entrevistas RSS

Partido nasce para disputar eleição 2012 com PSDB

22 de março de 2011

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, o vice-governador Guilherme Afif explica porque decidiu trocar o DEM pela nova sigla (PSD). “Era uma questão de incompatibilidade com o DEM, de um grupo político que está junto há muito tempo. É para reeditar um projeto que todos nós sonhamos de fazer um partido novo? Se for nessas condições, eu vou. Se for para fazer um bypass, para escapar da fidelidade partidária, não contem comigo”.

Afif: “Dá para viabilizar a reforma política”

Janeiro/Fevereiro de 2011

Em entrevista à revista da Federação Internacional das Profissões Imobiliárias, o vice-governador Guilherme Afif fala, entre outros assuntos, sobre a necessidade urgente de uma ampla reforma política no país. Ele defende o voto distrital no Brasil, para demonstrar à população o que é a vinculação do representante com a comunidade, que começaria já nas próximas eleições, em municípios com mais de 200 mil eleitores.

Afif defende voto distrital por mais representatividade

21 de outubro de 2010

O Diário da Região, de Osasco-SP, publica entrevista com o vice-governador eleito Guilherme Afif (DEM) na qual ele faz uma análise do resultado das Eleições 2010 no cenário estadual e nacional. O democrata defende o voto distrital para que o candidato eleito tenha mais representatividade do povo que o elegeu.

Quem sabe faz bem feito

Setembro de 2009

Secretário do Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo, Guilherme Afif, relata sua trajetória e diz que o Brasil precisa modernizar a legislação trabalhista para combater o desemprego e incentivar o empreendedorismo. Nessa entrevista à Revista PRESTEM, Afif fala também sobre informalidade, qualificação profissional, burocracia e carga impostos. “A concorrência desleal é consequência de uma carga tributária descabida”, afirma.

“Investimos na qualificação”, afirma Afif

Março de 2009

Ao Jornal Só Notícias, Afif fez um balanço das atividades da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho e reiterou: “É necessário que o trabalhador informal se torne formal sem burocracia”. Ele também apresenta um saldo das atividades do banco do Povo Paulista, que completou dez anos em 2008.

Página 13 de 24