Entrevistas RSS

A renúncia é um ato muito grave, diz Afif

9 de maio de 2013

No site de VEJA: nomeado novo ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, o vice-governador de SP Guilherme Afif diz que ‘Dilma pensa como ele’ e que vice é ‘cargo stand by’. “Sou construtor de pontes”, diz. Para ele, renunciar ao posto no Palácio dos Bandeirantes seria o equivalente a uma cassação, já que foi eleito para o cargo. “Isso tudo é da guerra política do PT com o PSDB, mas eu não estou em guerra com ninguém.”

“Hipótese de renúncia está descartada”, diz Afif

9 de maio de 2013

O jornal O Estado de S. Paulo publica entrevista com o ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif, que fala de seus planos para o ministério. Definindo-se como uma escolha pessoal da presidente, afirma que o seu partido, o PSD, tem uma tendência de apoiar Dilma em 2014. Ele classificou ainda como “política” a polêmica sobre o acúmulo do cargo de ministro e vice-governador do Estado. Afirmou que aceitou o convite por ser este o tema de sua vida.

“O primeiro passo é dar um fim na burocracia”

9 de maio de 2013

Em entrevista ao Brasil Econômico, Guilherme Afif revela que vai abrir mão do salário de vice no governo paulista, e que o seu ministério não será um órgão de distribuição de verbas, mas sim de coordenação de políticas públicas voltadas para os pequenos empresários, facilitando o acesso das micro e pequenas empresas aos projetos federais. Segundo Afif, o principal desafio de sua pasta será desburocratizar a vida dos micro-empreendedores.

Para Afif, há espaço para ser ministro e vice em SP

9 de maio de 2013

En entrevista à Folha de S. Paulo, o novo ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif, disse que pretende continuar como vice-governador de São Paulo e à disposição para assumir o Palácio dos Bandeirantes no caso até de vacância temporária do atual titular do cargo, Geraldo Alckmin. Para Afif, nada na lei o impede de ser exonerado da função do cargo de ministro por alguns dias. Ele então assumiria o governo de São Paulo. Em seguida, voltaria para Brasília.

PPPs são a base de plano paulista de infraestrutura

28 de março de 2013

No DCI, o vice-governador Guilherme Afif fala sobre o Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas, seu megaprojeto voltado à ampliação da infraestrutura. Os principais projetos somam R$ 49,2 bilhões. “É um dos maiores pacotes de PPP da atualidade”, diz. O programa contempla intervenções na área de mobilidade, água e controle de cheias, saúde, habitação e interesse social, educação, administração penitenciária, planejamento e desenvolvimento econômico e melhoria da gestão.

Página 10 de 23