Artigos RSS

Um Brasil bem mais simples

26 de fevereiro de 2015

Em artigo na Folha de S. Paulo, o ministro Guilherme Afif destaca o Programa Bem Mais Simples Brasil, lançado em 26 de fevereiro para desburocratizar o processo de fechamento de empresas, permitindo o encerramento do CNPJ na hora. O objetivo é facilitar a vida dos empresários e alavancar o ambiente de negócios no Brasil.

Descobrir o Simples é complexo

15 de agosto de 2014

Em artigo na Folha de S. Paulo, o ministro Guilherme Afif fala sobre a burocracia e a enorme dificuldade em abrir e fechar empresas no Brasil. “Uma via-crúcis repleta de balcões”. Com a sanção da lei complementar nº 147 que promove uma verdadeira revolução na Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas isso vai mudar. A lei geral foi criada para concretizar o tratamento favorecido e diferenciado para as micro e pequenas empresas garantido na Constituição.

Os principais pontos do Simples

13 de maio de 2014

Em comunicado, o ministro Guilherme Afif esclarece os pontos abordados por editorial do Estado de São Paulo sobre a simplificação do Simples. Para ele, as alterações promovidas na Lei Geral das MPE pelo projeto em trâmite vão muito além do Simples Nacional. Significam importante reforço para as políticas públicas de inclusão produtiva e social por meio do empreendedorismo.

Pensar Simples

22 de outubro de 2013

O ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa Guilherme Afif fala sobre os avanços do Simples desde a Constituição de 1988, e a necessidade de combater a má burocracia para facilitar a vida dos pequenos empresários. O mantra “é preciso pensar simples”. Amplificar e radicalizar esse objetivo é imprescindível, pois o país é considerado um dos mais burocráticos do mundo. Leia o artigo na Folha de S.Paulo.

Simplificar é preciso

14 de outubro de 2013

No Correio Braziliense, Guilherme Afif fala sobre os percalços burocráticos que emperram a vida das micro e pequenas empresas e explica o que pode ser feito para colocar em prática o tratamento diferenciado aos pequenos. “Por direito adquirido, as micro e pequenas empresas não poderiam ser vítimas da burocracia insensata, que submete os empreendedores brasileiros a um pesadelo de exigências descabidas e ao peso esmagador dos custos exorbitantes para apurar e pagar impostos”, diz.

Página 4 de 30